O Plenário da Câmara aprovou na noite de segunda-feira (10) a proposta de emenda constitucional que congela gastos federais pelas próximas duas décadas. A PEC é duramente criticada por congelar os investimentos em saúde, educação e assistência social, por exemplo.

O texto foi aprovado por 366 votos a favor e 111 contrários, depois que Temer ofereceu um banquete no Palácio do Alvorada (pago com dinheiro público) para fazer lobby a favor da PEC junto aos deputados. Somente PT, PDT, PSOL, PCdoB e PMB orientaram suas bancadas a votar contra a medida.

A PEC ainda vai passar por duas votações no Senado Federal, mas, infelizmente, não deve encontrar resistência.