O que o Alerta Social vem dizendo desde maio do ano passado: que o golpe é contra os pobres, o principal jornal norte-americano The New York Times traduziu em matéria do última sexta-feira (03) como “austeridade de Temer é só para os mais vulneráveis”.

Segundo o jornal, que faz um apontamento isento das reformas em curso no Brasil demonstrando que as elites continuam sendo poupadas enquanto que a população mais pobre e vulnerável irá sentir os efeitos perversos das medidas pelas próximas décadas.

De certa forma, o The New York Times rompe com o criminoso silêncio da mídia nacional que pactou em apoiar as reformas e o perverso modelo de desenvolvimento econômico implementado pelo governo Temer. O jornal aponta que a volatilidade política e a economia fraca despertam uma falta de esperança nos brasileiros. “Críticas estão atacando o limite de gastos, afirmando que ele pode causar danos aos pobres pelas próximas décadas especialmente em áreas como educação” afirma o periódico.

Traduzimos abaixo alguns trechos da matéria e aqui você acessa a matéria original do The New York Times

“Nem todos estão sendo afetados. Servidores públicos do judiciários receberam 41% de aumento. Deputados estaduais em São Paulo (maior cidade brasileira) votaram para aumentar os próprios salários em mais de 26%. E os deputados federais, que preparam um corte nas aposentadorias em todo o país, permitem suas próprias aposentadorias após dois anos de mandato.”

Still, not everyone is suffering. Civil servants in the judiciranch are enjoying a 41 percent raise. Legislators here in São Paulo, Brazil’s largest city, voted to increase their own salaries by more than 26 percent. And Congress, which is preparing to cut pension benefits around the country, is now allowing its members to retire with lifelong pensions after just two years in office.

“O Brasil está lutando para sair de sua pior crise econômica em décadas e o Presidente Michel Temer diz que o país precisa frear os gastos públicos para superar a crise.”

Brazil is struggling to pull out of its worst economic crisis in decades, and President Michel Temer says the country needs to curb public spending to do so.

“Não ajudou muito ao seu péssimo índice de aprovação quando ele ofereceu um jantar de luxo financiado pelos contribuintes para persuadir os deputados e senadores a darem apoio à sua proposta de cortes de gastos (PEC 55) com 300 convidados comendo camarão e filé mignon.”

Yet it did not help his dismal approval ratings when he hosted a lavish taxpayer-funded banquet to persuade members of Congress to support his budget cuts, with 300 guests eating shrimp and filet mignon.

“No mês passado o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles disse que “a recessão acabou”… Mas as condições nas ruas das cidades brasileiras dizem outra coisa, refletindo um complexa estrutura que leva milhões de brasileiros de volta à pobreza.”

But last month, the finance minister, Henrique Meirelles, claimed that ‘the recession has ended’… But the conditions on the streets of cities around Brazil tell a different story, reflecting devilishly complex structural challenges as millions of Brazilians fall into poverty.