Texto de autoria do deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), líder da bancada ruralista na Câmara, altera as leis para o trabalhador rural prevendo que o salário possa ser substituído por remuneração de “qualquer espécie”, como casa ou comida, que jornada diária seja aumentada para 12 horas, que possa se trabalhar até 18 dias seguidos, sem descanso semanal e autorização para a venda integral das férias. É a volta da escravidão ao Brasil.

Com a aprovação da reforma trabalhista que destroçou a CLT na Câmara dos Deputados (texto segue agora para o Senado), parlamentares da bancada ruralista devem começar a discutir nesta semana, com apoio do do governo Temer, as propostas de mudança do marco legal para as relações de trabalho no campo que pode ser considerada uma reforma trabalhista no meio rural.

 

 

Matéria do Valor Econômico traz mais informações: http://www.valor.com.br/politica/4953754/trabalhador-rural-pode-vir-ser-pago-com-casa