A Reforma da Previdência de Michel Temer avançou na câmara dos deputados sob forte aparato policial para impedir as manifestações contrárias ao projeto. Foram votados os destaques do texto na terça-feira (09/05) após a sessão ter sido suspensa na semana anterior devido à manifestação dos agentes penitenciários. O governo havia acordado com a categoria que seriam incluídos nas regras previdenciárias para profissões de alto risco. No momento da votação, o governo rompeu o acordo e os enquadrou na categoria geral.

Os deputados também rejeitaram a manutenção das regras de aposentadoria rural, assim como a proposta de colocar o texto para consulta popular.

Os principais pontos da reforma são a introdução da idade mínima para aposentadoria que, caso aprovada, será de 65 anos para homens e 62 para mulheres. O tempo mínimo de contribuição passou para 25 anos (300 meses de contribuição) sendo que para receber 100% do teto (hoje de R$ 5.180) serão necessários 40 anos de contribuição (ou 480 meses).

A PEC 287 será posta em votação no plenário da Câmara. São necessários 308 votos para seguir para o Senado.